segunda-feira, 30 de setembro de 2013

O que comer?

Então e o que é que eu como? Está foi a parte mais difícil, porque viver da comidinha da mãe é um perigo para a linha. Todos os dias lá vem o arroz (e se há coisa que se come cá em casa é arroz. A minha irmã podia viver só de arroz. É que vai arroz com tudo!), a massa ou as batatas, e o pão? Aí o pão. Eu gosto de pão!  Não necessariamente à refeição, mas gosto ao pequeno almoço e aos lanches, bom e se não houver nada feito, também se fazem umas mega sandes e está pronto, que cá em casa há sempre pão. E que pão? Todo. Branco, mistura, integral, brioche, de leite, de deus, de azeite... Já perceberam. Por isso, foi aqui a diferença maior. Agora só como pão ao pequeno almoço e mesmo assim vou intervalando com cereais integrais e aveia torrada (a outra muito mole dá-me vómitos) que é para ver se a coisa melhora.
Outra grande diferença é que só como os ditos acompanhamentos (hidratos de carbono) às vezes, tipo uma a duas vezes por semana. Em vez disso como salada, as típicas mediterrâneas tomate, alface, cebola e pepino, sempre com azeite, sal e água; e também mais legumes, que eu não comia muito, cozidos ou salteados, em molho soja por exemplo, que a-d-o-r-o!
As proteínas fico-me por carnes brancas e peixe a maioria das vezes. Carnes vermelhas só grelhadas mesmo! E tenho aproveitado para descobrir o sushi caseiro, sem o arroz.
Os lanches a meio da manhã e tarde, são à base de iogurtes sólidos sem açúcar adicionado, com canela ou frutos vermelhos, fatias de fiambre e mortadela de aves com triângulos ou bolinhas de queijo light, frutos secos e quando dá aquele aperto, gelatina light sem açúcar. 
Duas vezes por semana faço um jejum de 12h e todo o santo dia bebo agua, mínimo 2L... Mas ultimamente tento chegar aos 3L, com a ajuda de chás, sim adivinharam, também sem açúcar.

E para quem está a ler isto, deve estar a pensar... Isto é tudo muito bonito, mas é conseguir fazer isto todos os dias? Pois não é fácil. É preciso força de vontade quando se está com os amigos ou se vai jantar como namorado e temos de resistir as coisas que eles comem e que nos apetece mesmo naquele momento. E o  mesmo se deve passar com as mãe e mulheres que tem de cozinhar todos os dias para os filhos e maridos que não têm restrições alimentares. Mas por muito difícil que seja, é possível, com mais ou menos sacrifício, é possível e com jeitinho até descobrimos coisas novas que gostamos, ou que nem é assim tão difícil. Eu sei que alguns dizem que o difícil não é o que comer, é o facto das coisas light serem mais caras. E posso dizer que não é uma diferença assim tão grande, pois há coisas que deixamos de comprar. Além de que hoje em dia as marcas próprias de supermercado tem uma grande qualidade e já disponibilizar uma grande variedade. Eu só posso falar do continente que é onde faço as compras e adoro a linha azul (como lhe chamo), em que os produtos não deixam nada a dever aos originais, dos iogurtes aos queijos, do pão à charcutaria de aves, sem esquecer o maravilhoso chocolate light sem açúcar, que só um quadradinho de vez em quando mata o bixo e não faz mal a ninguém.


Isto é o que eu faço e resulta comigo. Não sou nutricionista, nem dietista... Por isso usem isto apenas como guide line para descobrir o que resulta convosco. E partilhem o que resulta, que eu estou sempre disposta a experimentar coisas novas. 

domingo, 29 de setembro de 2013

Objectivos:

Antes de começar quero deixar claro que eu não me acho gorda e eu nem quero propriamente perder peso, pretendo apenas tonificar e isso implica baixar % de massa gorda (no entanto se quer perder peso, grande parte do que vou falar pode adaptar-se a si, afinal de contas são fases complementares). Não quero o dito sixpack, não quero os mega músculos nos braços e pernas, mas quero assim um sombreado dos ditos. Ora, e para se fazer um plano é preciso definir objectivos, os meus? Sentar-me e ter a barriga assim a dar pro lisa, sem estes inestéticos rolinhos, dizer adeus e não ter um abanico no braço e se o meu rabiosque ficar mais firme e sem celulite, não preciso de mais nada :) pedir pouco, certo? Errando! Eu não estou a pedir nada, estou só a dizer o que quero e como o pretendo conseguir.

                                         

Pronto e este é o meu corpo de sonho. Eu não sei quem é esta rapariga, encontrei a foto em muitos dos instagram que sigo, parece que é assim um objectivo colectivo. No entanto sejamos realistas, eu nunca vou ser assim. Sou mais baixa, ancas mais largas e por aí fora, mas dentro da minha fisionomia lutarei para ficar o mais parecida possível :)

Mas isto não há cá milagres! Não vou tomar comprimidos, suplementos ou semelhantes, e cremes, bem cremes até gostava de me lembrar do da celulite de manhã e de noite, mas não consigo, eu tento, mas não consigo. Por isso, sem contar com os dias que me lembro do creme, vai mesmo ser só há base de exercício e uma reeducação alimentar. Pois, porque dietas também não é para mim, gosto muito de comer e foi isso que estragou tudo nas minhas férias. É aquela velha máxima, uma má alimentação pode dar cabo de horas e horas de exercício, sou a prova viva disso. 

Por isso, vamos lá... O meu lema de vida é, e sempre foi, Acreditar é o primeiro passo para conseguir, e aqui aplica-se tão bem. Por isso, atingir o meu objectivo preciso de defini-lo (feito), deseja-lo (quero muito), acreditar nele (eu acredito!!), escreve-lo para tornar impossível de voltar atrás (feito e com testemunhas) arranjar um plano (já tenho e vou partilhando) e cumpri-lo (todos os dias até atingir o objectivo). 

E se houver por aí alguém a querer fazer esta jornada comigo, é só dizer, que isto com companhia é bem mais fácil.

O início

Decidi começar, ou recomeçar, um estilo de vida mais saudável. E porque é que eu digo recomeçar? Porque foi no início do ano que comecei e correu tudo muito bem, até Julho, quando fui de férias. E agora 2 meses depois decidi voltar a tentar, pois até as férias ainda tenho 10 meses e por essa altura espero que a coisa já seja intrínseca à minha rotina. Então e porque é que eu estou a escrever num blog e não numa caderno aqui por casa? Pois, está-se  mesmo a ver que isso ia durar uma semana. Além de que isto é público e não se mente na internet (or not), por isso vou mesmo ter de levar isto avante.

            

Não, isto não vai ser um blog de fitness, de comida saudável ou coisa que o valha, vai mesmo ser uma espécie de relato do meu "novo" estilo de vida. E isso também pode incluir moda, beleza, desporto, receitas e até sobre a coisinha mais adorável de sempre, o meu cão. Um pequeno e terrível Yorkshire Terrier, a quem é impossível resistir.